terça-feira, 23 de agosto de 2011

E daí?

A gente fala que vai parar. A gente faz planos pra mudar. Aí a gente bate no peito e assume que é assim e que vai ser sempre assim. A gente fala que é o que não é, a gente quer e diz que não, diz "não" e faz sim. A gente é uma mistura de incongruências num quadrilátero equilátero. A gente roda a roda e acaba encurralado num ângulo agudo e de repente se lembra de que círculo não tem ângulo! O que a gente é? A gente muda a trilha sonora e vê o mundo de outra forma, nem quadrado, nem redondo. A gente se diz casca grossa mas derrete mais rápido que manteiga. A gente vende a alma ao diabo, ele compra barato mas sai caro, porque a gente é uma mistura de céu e inferno que nem o Beuzebu pode entender! E daí se eu cometer os mesmos erros que jurei há pouco tempo que jamais cometeria novamente? Mas tá tudo bem, mesmo porque depois a gente se arrepende... E daí se a gente gargalha querendo chorar e se chora depois de rir? Aí a gente canta um sertanejo, aumentando meu desejo e se descobre romântica e acha que o mundo é romântico e que uma hora vai parar de girar... Mas e se não der certo? Aí tem sempre o plano B. Ou o C... E uma infinidade de outras letras e outros alfabetos. E também tem aquela música: "E daí? Se eu quiser farrear, tomar todas num bar, sair pra namorar, o que é que tem?"... Eles falam que o que vai volta, mas às vezes o que fica não vai, ou o que foi não voltou e a verdade é que eu não sou de ninguém. Sabe o que que é? É que a gente é tudo e não sabe de nada. Que tem louco pra tudo e que só os loucos sabem. Enfim... Não existe conclusão nem final feliz. Mas enquanto tentamos achá-los, inventamos. Afinal, viver é isso. E a gente pode ser tanta coisa...

3 comentários:

  1. Aff.. que confusão!

    ResponderExcluir
  2. Um quadrilátero equilátero não é uma incongruência, é um losango. Mas como licença poética ficou ótimo...

    ResponderExcluir
  3. Gente, exatamente isso! Confusão... O ser dentro do não ser... Foi um desabafo obscuro, eu sei, mas quem não é tudo isso, não é mesmo?

    ResponderExcluir